Atuação Lírica

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Corpus



Deitado eternamente em suas curvas, deliro na loucura.
Em cada volta, me perco em teu corpo, fico louco!!!
Loucura que não me tira a razão, em cada centímetro de tua branca pele sinto o arrepio, entre teus sedosos cabelos, meus dedos permeiam, passeiam como se entremeassem no mais fino dos tecidos.
Ao teu lado viajo em teus olhos sem que precise mover de onde estou.
Seu beijo agrega sabores, quando estamos juntos agregamos valores, sozinhos somos dois, juntos somos um...
Quando estamos juntos a loucura é o limite e não nos limitamos a ousar e abusar de nossos sentimentos mais primatas, sei que em lugar aprendemos a amar, contudo a cada dia nos descobrimos e tudo sai espontaneamente.

Luiz Gonzaga

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Sabores ao mar


Preciso ver o mar pra reencontrar  com os sentidos, fluir, navegar...
Deixar me levar na brisa calma e leve, no frescor de suas águas,
No seu som delirar, excitar-se com o mais singelo sentido, perder o juízo, nas suas curvas delirar;
Quero sentir seus sabores, o sal de seu suor, o meu da sua boca.
Menina, te deixo louca.
Te perco. Te ganho...

Luiz Gonzaga

terça-feira, 5 de abril de 2016

Previsão do tempo



Tempo parcialmente nublado
Nuvens esparsas
O sol pode aparecer
O amor pode não florescer
RISCO DE TEMPESTADE

Luiz Gonzaga

sábado, 12 de março de 2016

Amor interrompido


O mar que tirou você de mim
Hoje só me traz a saudade
De um amor que não teve fim

Luiz Gonzaga

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Amor aos pedaços



Amor, o mais complexo dos sentimentos... Quando preenchidos, nos sentimos mais fortes, confiantes; alimento doce; sim, doce! Mel que transborda de nossas bocas, que extrapola nossos poros e limites, que ignora a razão e qualquer bom senso. Quando enamorados, estamos para tudo, ignoramos o medo, deixamos de ser nós mesmos, compartilhamos ideias e descobertas diárias e saudades em relação à ausência da pessoa amada;

Sem amor, nada nos resta, absolutamente nada! A tristeza invade nosso ser, nosso corpo começa a disparecer, desmoronar, nosso coração de nada mais serve, em si está tecido as horrendas teias que nos prende à mágoa e ao sofrimento, nossa casa começa a ruir, diariamente parece que um pedaço de nós fica para trás e ao final das contas nos parece que o caminho de volta a felicidade parece que não terá um fim...

Aos pedaços vou seguindo a caminhada, esperando em breve enxergar a prometida luz no longo túnel do destino, sem saber ao certo quando chegará minha vez, contudo ainda resta a esperança, nada está concluído em minha jornada, será que um dia encontro a verdadeira amada???

Luiz Gonzaga